26 de maio de 2016

Diferença entre Margin e Padding

Diferença entre Margin e Padding

Quando eu comecei a mexer com códigos em html/css, muitas dúvidas surgiam na minha cabeça. E sei que muitas dúvidas devem surgir na mente de todo mundo a respeito desse assunto, é exatamente por isso que criei um espaço aqui no Seis Mil Milhas com Dicas para Blogueiras. ♥

Dentre essas dúvidas que matutavam na minha mente, uma das que mais me deixava confusa era a diferença entre margin e padding. Por mais que eu mexesse nessas duas propriedades de css, eu não conseguia entender como funcionava.

Até que eu pesquisei um pouco e fucei um pouco mais, até que um estalo aconteceu na minha cabeça e entendi o funcionamento tanto da propriedade margin quanto da padding e a diferença entre as duas. E agora vou explicar para vocês:

Quando usamos a propriedade de margin, ela está se referindo simplesmente a margem de um elemento, ou melhor a distância entre elementos. Isso quer dizer que ela funciona como uma borda do lado de fora daquele elemento que você estiver editando no seu código.

Mas quando usamos a propriedade de padding essa já é referente ao espaço entre a borda de um elemento e o conteúdo dentro desse mesmo elemento. É por dentro, e não por fora como funciona a margin, sabe?

Fica mais fácil quando a gente compreende cada propriedade, né não?
Nosso layout fica muito mais bonito quando isso acontece! ♥
Se você ficou com alguma dúvida, deixa aqui nos comentários.
E se quiser receber mais dicas como essa,
participe do Grupo no Facebook. ♥

15 de maio de 2016

Acordei com Vontade de Falar Sobre Música

Música Nirvana Nevermind

Faz muito tempo desde a última vez em que falei sobre música aqui no blog. Faz tanto tempo que eu nem me lembro direito quando foi. Talvez essa seja a coisa mais estranha dos últimos dias, sempre falo demais sobre as coisas que eu gosto. É inevitável. Mas sobre música, eu deixei passar.

Ter deixado passar, foi um pouco proposital. É que eu realmente não gosto de dividir as músicas que escuto. Minhas músicas favoritas dizem mais sobre mim do que sobre quem as compôs. De alguma forma, acredito que dividir as músicas que mais ouço é como permitir que meu coração seja escutado, sem ser em forma de tum tum.

A música é tão importante na minha vida que talvez eu nem tenha ideia do quanto. Mas acho que da para ter uma noção pelo fato de eu não ser como aquelas pessoas que usa a música como plano de fundo para tudo o que faz. Não há problema nenhum em ser assim, eu só não consigo. Quando coloco uma música pra ouvir, eu paro tudo o que eu estou fazendo para escutar a música (e sou feliz assim ♥).

Queria conhecer outras pessoas que escutassem música dessa maneira. Olhando a minha volta, acho que não conheço ninguém que larga tudo para aperta os fones de ouvido e se deixar levar pelos acordes e letras de uma canção. Mas em contra partida, conheço muita gente que coleciona trilhas sonoras e também faço parte desse clube.

Tenho uma trilha sonora para todos os momentos da vida, para todas as pessoas que conheço, para todos os momentos que eu imagino viver um dia. E olha, pode passar um tempão, se eu ouvir aquela música que em algum momento foi parte da minha história, posso apostar de olhos fechados que até o sentimento vai rebobinar dentro de mim.

É engraçado como mexe comigo, como mexe muito comigo. E como adquiri um carinho especial e possessivo com as músicas que são minhas prediletas. Mas no final das contas, sei que muita coisa na minha vida foi tudo pela música. Sei que soa maior poético, mas na verdade a música sempre torna tudo mais interessante.

Você também tem esse carinho todo pelas músicas que você escuta?
Se tiver, deixe aqui nos comentários para a gente dividir as experiências! ♥

11 de maio de 2016

Assista Filmes Diferentões


Toda segunda-feira tem aula de Arte e Cultura lá na faculdade e toda segunda-feira tem cara de Arte e Cultura. Não é que eu não goste da aula, mas todas as vezes que termina tenho a sensação de que o mundo todo é controlado e que não vou escapar disso. Então chamo isso de sensação de segunda-feira, mas ai já é assunto para outra postagem.

O que importa agora, é que estávamos discutindo sobre cinema. Era um pouco de produção cinematográfica, mercado cultural e industria comercial. E no meio da discussão me dei conta de que o mercado cinematográfico, em conjunto dos interesses das pessoas que gostam de ir ao cinema, nos levam a ver filmes comerciais o tempo todo.

Você sabe do que estou falando, eu estou falando daquele famoso filme pipoca. Milhões de investimento para gerar milhões de bilheteria. Mas poxa, qual é o problema do filme pipoca? Nenhum, eu adoro a pipoca. O problema está em assistir apenas esse tipo de produção e se esquecer de que existe um mundaréu de filmes para você conhecer que não passa nem perto das telonas do cinema ao lado da sua casa.

E ai tem aqueles que soltam a seguinte frase: “Se não passa no cinema, é porque é ruim”. Não, só porque não está no cinema, não quer dizer que não seja um bom filme. E vice e versa, ouviu bem? Afinal,  é tudo um grande mercado, monamour. E como todo mercado, é controlado e quem paga para está lá é visto.

Não estou dizendo que você precisa renovar seus gostos e passar a assistir só as produções de filmes diferentões (esses que não são blockbuster), mas que se você tirar um tempinho para assisti-los eu arrisco a dizer que você vai ganhar quase o mesmo nível de cultura que você ganharia viajando pelo mundo, sem os perrengues de se estar viajando. No conforto do seu sofá e enrolado em um edredom quentinho. ♥

3 de maio de 2016

Onde começar a programar?


Nada como começar o mês compartilhando coisas daquilo que a gente sabe fazer. Mesmo não sendo expert no assunto, tiramos algo de bom toda vez em que dividimos com alguém aquilo que já sabemos. E é exatamente esse o motivo de ter voltado aqui, para compartilhar coisinhas sobre programação, html/css e web design com vocês! ♥

Hoje vim indicar para vocês 5 lugares (sites/programas/plataformas) onde eu aprendi a utilizar os códigos de html/css e que facilitaram a minha vida na hora de compreender o que é que eu estava fazendo. Afinal, todo mundo quando está começando a mexer com programação, fica meio perdido, né? Pois bem, essa postagem pode te salvar! hahaha

Tumblr:
Foi no tumblr onde tive o primeiro contato com os temidos códigos, mas também foi lá que descobri que pode se fazer mágica com eles. Essa plataforma é a mais simples do que todas as outras que existem e os themes da plataforma são de fácil interpretação. Então se você nunca na vida mexeu com códigos, dê uma fuçada no tumblr. Ele vai te dar uma base com as pequenas coisas obrigatórias que você precisa saber sobre html/css.

Blogger:
Quando o tumblr já não supria as minhas necessidades, o blogger foi um escape. Não despreze essa plataforma só por ser gratuita, mas aproveite isso. Saiba que existe uma diferença gritante do tumblr para o blogger, mas tudo o que você aprende no tumblr pode ser readaptado para outra coisa (literalmente, é sério). Exige de você tempo e dedicação? Sim, mas quando você pega gosto pela coisa, até os bugs da plataforma, você acaba resolvendo. ♥

Bloco de Notas:
Eu sei que parece ridículo, mas sabe o bloco de notas do seu computador? Esse mesmo que é desprezado por você. Muitas vezes edito o meu código ou alguma parte do código html/css ali, e depois copio e colo onde quer que eu queira instalar. O bloco de notas facilita na hora de visualizar o código. As vezes você está vendo tantos números&letras diferentes que não percebe onde está errando. Editar no bloquinho é mais “limpo” e seus olhos enxergam melhor. Sei que parece estranho, mas é verdade. A única desvantagem é que você precisa escrever código por código, letra por letra. Mas se você está aprendendo, é a melhor coisa!

Dreamweaver:
Eu não poderia fazer essa postagem e não citar ao menos um produto da Adobe. O dreamweaver salva vidas, salva tempo e salva a falta de atenção que a gente tem de vez em quando. Um exemplo, é que quando você abre uma chave, ele já fecha pra você e ai ninguém precisa se preocupar com isso. Você pode ter uma janela dividida e de um lado ter seu código bruto e do outro lado a visualização do código transformado. Você tem mil possibilidades com esse programa. Gosto muito dele, mas raramente o uso. Porém recomendo fortemente. :)

Tutoriais:
Sabe aquele tutorial que uma blogueira postou e que te dava o passo a passo do código e instalação? Alguns desses tutoriais tem até mesmo explicando o que cada uma das linhas fazem. Use e abuse desses códigos, aprendi tanto com eles. Compreendi com esse tipo de tutorial a diferença de padding e margin. Era algo que eu tinha dificuldade de entender, hoje em dia, acho uma coisa corriqueira. E se você é blogueira e disponibiliza tutoriais desse tipo na internet, saiba que você está no meu coração (♥).

Essas foram as dicas de hoje, espero que tenham gostado e que possam aprender com elas. Qualquer dúvida vocês podem deixar aqui nos comentários ou entrar em contato comigo pela página no facebook ou pelo grupo de dicas. ♥ Um beijão e até a próxima Dica para Blogueiras!
© SEIS MIL MILHAS - 2014. ♥ Todos os direitos reservados.
Criado por: SARAH LYNN. ♥ Tecnologia do Blogger.