17 de agosto de 2015

Vou dizer para você...


Querida Jenny,

Peço-lhe por favor, que não se apavore quando eu disser para você que não te amo mais.
Pois vou dizer em alto e em bom tom que não me importo. E que para mim tanto faz, que está tudo certo agora e que não dou mais a mínima para você. Porque eu irei te dizer isto, então aguarde. Pois não terei travas na minha língua e nem medições de palavras quando disser também que não ligo para suas futilidades e que fique com o coração partido. Porque eu realmente não me importo mais.

Vou dizer para você que não tem problema que coloque outro cara dentro de nossa casa e que divida a nossa cama com ele. Mostre seus segredos, mostre suas faces. Faça com que ele se sinta feliz e depois ranque essa felicidade dele para si mesma, sem dó como você faz de melhor. Só cuidado com os seus sorrisos e discursos, já conheço todos eles e não me engana mais. Não vou cair em suas palavras.

Mas segure forte o seu coração e mantenha seus pés firmes no chão, que eu ainda vou dizer pra você que para mim já esta mesmo na hora de você esquecer tudo aquilo que nós passamos juntos. Lembranças não servem para nada, e você se parece um museu, Jenny, recordando do passado. Do nosso passado.

Jenny, irei te dizer todas essas coisas por telefone, por carta ou por e-mail, não porque não tenho coragem. Você sabe que não sou covarde. Mas por simplesmente achar que não vale a pena te olhar nos olhos. Mas se quiser me ouvir cara a cara, eu te falo, eu te digo, eu te exponho. Juro por Deus, ou para qualquer divindade presente. Mesmo achando que te ver chorar suas falsas lágrimas vai ser humilhante demais até mesmo pra você e seus shows de teatro. Só que tudo não passa de teatro para você, não é?

Só que continuando os meus dizeres, sem lamentos e melúria agora. Vou dizer pra você que foi bom enquanto durou no instante em que eu sorrio indo em direção à porta da nossa casa e deixando a chave em cima da mesinha de entrada. Também vou dizer que estou levando apenas uma mala, mas não porque penso em voltar, não fique contente por isso. Mas estou levando uma só mala porque já tinha levado todas as minhas outras coisas embora, mais cedo enquanto você não estava. Era mais fácil assim, afinal você nunca estava lá.

Alias, não se preocupe comigo e nem onde vou estar. Não me procure e nem pergunte de mim para os nossos amigos se não quiser saber que estou muito bem sem você. Muito bem sem você, entendeu?

E querida, quando você estiver esgotada das minhas palavras, já exausta e quiser gritar comigo. Por favor, guarde suas palavras. Pois caso contrário, eu vou dizer para você um monte de besteiras e entre essas besteiras que não te amo mais - mesmo sendo mentira, uma mentira imensa. Mas continuarei dizendo, dizendo para você um milhão de coisas que provavelmente fará com que você me odeie mais do que tudo nesse mundo pequeno.

Mas Jenny, por favor, não chore só porque descobri que o seu amor também é passageiro e acaba.

Sem mais amor,
James.

4 comentários:

  1. Que texto lindo.
    Seu blog é perfeito parabéns pelo trabalho
    http://utopiasdegarotaa.blogspot.com.br/
    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Lidiane. Fiquei muito feliz em saber que gostou! ♥

      Excluir
  2. Uouuu que texto foda (gente não falo palavrão, mas não consegui encontrar outra palavra para expressar minha reação ao ler esse texto).
    Mandou muito bem Sarah.
    Amo escrever na versão masculina, tenho até um projeto no blog chamado 100 dias sem ela.
    Parabéns novamente.
    Beijos
    ♥ Te Conto Poesia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caramba, fiquei surpresa com seu comentário, ainda mais por você dizer que não fala palavrão. Mas existem situações que não tem palavra melhor para expressar nossos pensamentos! hahaha Fiquei muito feliz, eu queria fazer algum projeto assim no blog, mas não é bem o meu foco no momento. Quem sabe mais pra frente? Vou ler os seus! ♥

      Excluir

© SEIS MIL MILHAS - 2014. ♥ Todos os direitos reservados.
Criado por: SARAH LYNN. ♥ Tecnologia do Blogger.